Estilo de vida

Viver bem: o que isso significa?

Viver bem engloba uma diversidade de fatores. Mas tão importante quando entender tudo o que está envolvido, é saber compreender o que é viver bem para você.

            Isso porque certamente este é um conceito muito relacionado à individualidade, em que o primordial é caminhar conforme o seu próprio ritmo ou estilo de vida.

viver bem

É você quem faz o caminho

Como estávamos dizendo, um erro que muitas pessoas cometem é buscar a resposta para suas perguntas na felicidade do outro. Além de não funcionar desta maneira, a verdade é que isso pode causar grandes estragos.

            Em primeiro lugar porque o corpo de cada pessoa funciona de uma maneira, e atropelar seus limites é um perigo. Em segundo lugar porque só você conhece a sua realidade, o seu dia a dia. E por fim, mas não menos importante, porque na sua vida é você quem dita as regras.

            Muitas pessoas tendem a acreditar, por exemplo, que ter muito dinheiro é o sonho de qualquer um. E entenda: não estamos falando de ter uma vida estável, sem dívidas. Aqui quero dizer aquele sonho da casa grande, de viver viajando, das roupas de grife. Pode ser um objetivo? Claro. Pode não ser? Com certeza.

            Não podemos esquecer que tudo tem um preço.

            Sabe aquela frustração de ir em um restaurante e gastar dinheiro com comida ruim? Ou pagar muito por um vestido que não caiu bem e não tem possibilidade de troca? É mais ou menos assim. Pagar o preço por algo que “não é para você” muitas vezes não permite voltar atrás. E pode custar caro!

Saúde em primeiro lugar

Aqui vale comentar um ponto importante que interliga o que já foi dito. Se quiser encontrar uma “regra” para o viver bem, essa regra é ter saúde. Saúde mental e física, importante reforçar.

            Independente de quais sejam suas escolhas, é necessário estar saudável para executar as tarefas necessárias para chegar lá.

            A questão é que mesmo nessa semelhança, não há padrão.

            Ser saudável não implica em praticar cross fit, em dietas sem carboidrato, em fazer massagem ou mesmo ir ao psicólogo. Pode significar tudo isso? Mais uma vez, claro que sim. No entanto, também novamente, não necessariamente.

            Manter a mente sã é entender o que você gosta, ao mesmo tempo em que aprender a ler os sinais do seu corpo. Autoconhecimento, acima de tudo. Não adiante saber que maçã faz bem se você odeia maçã. Entende o que eu quero dizer? Existem outros milhares de caminhos a seguir.

Viver bem no trabalho

Você já ouviu falar no “trabalho dos sonhos”? Às vezes ele corresponde à vida de autônomo, às vezes diz respeito a ser o chefe, ou ainda significa trabalhar na praia. Pra outros tantos, pode ser representado por um concurso público, por cargos de confiança ou ainda, é claro, pela CLT.

            Na minha experiência pessoal, inclusive, me deparei com situações engraçadas nesse sentido. E espero que não se importem que eu compartilhe aqui uma delas com vocês.

            Sou publicitária, especialista em marketing, e desde a faculdade estagiei em agências de comunicação. Isso me cansou cedo deste ambiente, e me levou a optar por ser freelancer. Com a pandemia, as poucas coisas que me exigiam “horários fixos” de trabalho, viraram home office. Foi assim que pouco a pouco conquistei a liberdade de trabalhar “quando e de onde quisesse”. Ou melhor, achei que havia conquistado.

            Isso porque na primeira oportunidade que tive, peguei meu computador e levei para a praia onde fiquei sozinha por uma semana. O plano era viver bem, do jeitinho que eu sempre quis: metade lazer, metade trabalho. Mas quem disse?

            Foi exatamente essa liberdade que me travou, e me levou à um verdadeiro “surto” até que eu pudesse me acostumar. Sou um pouco “workaholic”, e capricorniana. Extremamente racional. Foi preciso quase que um guindaste para me tirar de casa para colocar o pé no mar pela primeira vez nesta semana. É provável que tenha trabalhado mais do que trabalhei em toda a minha vida. Enquanto isso, ao tempo em que publicava nas minhas redes sociais “meu escritório litorâneo”, recebia inúmeras mensagens dizendo “que delícia! Parece férias!”.

            O que eu quero dizer com isso? É que a percepção de quem vive e de quem está de fora NUNCA será a mesma. E isso apenas reforça como é fundamental viver a sua própria vida, buscando o que faça sentido para você.

Viver bem em família

Família é outra questão que encontra padronizações quando o assunto é a realização. Principalmente para mulheres. Casar e ter filhos são algumas das verdades pré-estabelecidas, e por mais que o mundo esteja se modernizando, fugir destas “regras” ainda causa estranhamento.

            Não é todo mundo que nasceu para ser mãe – o que não tem nada a ver com gostar ou não de crianças. Já se foi o tempo que ter um relacionamento era necessidade para se sentir completa. Mesmo para quem busca construir uma vida com alguém, cada vez mais se sabe a importância de nunca abandonar sua identidade.

            Enquanto muitas pessoas acreditam que um mais um é igual a dois, em casal um mais um precisa ser igual a três. É preciso que cada um tenha sua própria vida, além da vida que construíram juntos. O mesmo vale para filhos e outras relações. Deixar-se de lado para viver a vida do outro não raramente acaba mal, e joga para o alto qualquer chance de “viver bem”.

O segredo para viver bem

Dito isso, você pode estar se perguntando: o que, afinal, eu posso fazer para viver bem?

            A principal resposta é: não existe segredo. Ninguém vai poder te contar. Você terá que descobrir seu próprio jeitinho, ao mesmo tempo em que será a única a saber se suas vontades estão adequadas à sua realidade.      

            Dizem que sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho. Mas cabe lembrar que pequenos sonhos em geral são mais fáceis de realizar, e poder te levar na direção do sonho grande.

            Dê um passo de cada vez, e lembre-se que viver bem não é atingir a perfeição. Mas estar nesta busca constante, encontrando sua paz e seu próprio equilíbrio.


Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *