Estilo de vida

Tempo de amizade: maturidade que faz a diferença

O tempo de amizade não é necessariamente o que faz dela importante, mas certamente fazê-la durar é uma das provas de um relacionamento capaz de transformar. Amigos de infância muitas vezes permanecem ao nosso lado pela vida toda e, quando não o fazem, podem ser aqueles que anos depois encontramos e sentimos que nada mudou.

tempo-de-amizade

Há também aqueles novos amigos que surgem de repente, mas que dali em diante irão seguir ao seu lado para toda a eternidade. Amizades que literalmente tornam-se parte indispensável da sua história, e que ao falar de recordações sempre estarão presentes na memória.

Mas qual o segredo para cultivar amizades de longa data?

Cultivá-las. Apenas isso. É regar constantemente e fazer-se presente, mesmo que a  vida os faça seguir caminhos diferentes. Isso mesmo! Nem sempre tempo de amizade significa estar perto o tempo todo, ou poder contar com a presença física tanto quanto gostaríamos. Não são raros os casos em que um amigo muda de cidade, por exemplo, ou por algum motivo não consegue compartilhar tantos momentos do dia a dia. Porém, isso não significa não estar presente.

E é exatamente em situações como essa que demonstrar carinho mesmo de longe pode ser fundamental.

Como demonstrar carinho à distância?

  • Enviar uma mensagem.
  • Fazer uma chamada por vídeo.
  • Mandar uma surpresa.
  • Escrever uma carta.
  • Ou até mesmo fazer coisas que vocês faziam juntos e reforçar o quanto lembram um do outro quando aquilo se repete.

O segredo para o amizades maduras não raramente está na simplicidade. É através de pequenos gestos que estabelecemos grandes laços, que nos levam a conexões tão fortes quanto a união determinada pelo sangue. Amigos de tempos são a família que nós escolhemos, a quem sabemos poder recorrer nos momentos tristes e felizes.

Não são necessariamente aqueles que sempre concordam conosco, mas aqueles que podem ser sinceros e que realmente se importa com nosso bem estar. São também aqueles com quem podemos ser nós mesmos, mesmo que o pensamento seja completamente diferente daquele que está do outro lado.

Essa é a verdade: amigos não pensam sempre da mesma maneira. Na verdade, longe disso. Entretanto sabem conviver com as diferenças e constroem juntos uma nova personalidade, uma nova vida, e acabam por se tornar parecidos principalmente aos olhos dos outros, inclusive fisicamente. Já aconteceu com você? De alguém achar que um amigo, sem ter qualquer parentesco, fosse seu primo, seu tio, ou até mesmo seu irmão?

Benefícios: tempo de amizade além da parceria

É realmente um sentimento muito bonito, de parceria, de sintonia. Ter uma amizade que entenda você mesmo sem dizer uma palavra é algo grandioso: num olhar, num simples gesto, num suspiro. O tempo de amizade faz com que a gente aprenda a se interpretar e se entender melhor do que nós mesmos o fazemos, e com isso, passamos a aprender sobre nossa própria personalidade.

Sem dúvidas, a relação com o outro tem muito a nos ensinar sobre nós mesmos, e são fundamentais para desenvolvermos meios de externalizar sentimentos e preservar a saúde mental. Estudos comprovam que pessoas com menos convívio com grandes amizades tem maior tendência a diversas doenças, como depressão, obesidade, pressão alta e inclusive à risco de vida.

E as discussões?

Está aí mais um aprendizado que as amizades vem nos ensinar: ter relações duradouras não tem nada a ver com “não brigar”. Pelo contrário, é muito provável que não ter discussões esteja fazendo um de vocês engolir mais sapos do que gostaria.

Desentendimentos são completamente normais e, além de respirar fundo e ter empatia, é imprescindível saber ouvir e, também, falar. É um ótimo exercício para aprender a conviver em sociedade, e tomar suas próprias decisões. Às vezes você vai estar certo, às vezes errado, mas manter a mente aberta e saber amadurecer nas divergências é um crescimento necessário a qualquer ser humano.

Discussões saudáveis aumentam nossa autoestima, e dão suporte na sensação de pertencimento. Assim como o pensamento dele pode ajudar você a evoluir, já pensou em como as coisas que você tem a dizer podem ajudá-lo a ver enxergar novos pontos de vista também?

E aí entra um outro fator que é preciso levar em conta: reciprocidade.

Reciprocidade: a base para que um relacionamento funcione.

Em uma rotina cada vez mais corrida, em que temos que criar listas e organizar prioridades, os dois lados precisam encontrar espaço para conversar, estarem juntos, demonstrarem que se importam e querem estar juntos. Vale reforçar que isso não deve acontecer somente em datas especiais, ou por algum motivo em específico: o tempo de amizade nos dá assunto para qualquer hora e ocasião. Falar sobre o tempo, sobre a vida, sobre o dia a dia, sobre o que está acontecendo no mundo… tudo é razão para estar “perto” e compartilhar!

E sabe aquela história de “fazer pelo outro o que quer que façam por você”? É totalmente aplicável. Pergunte sobre o marido, os pais, os filhos, o trabalho. Esteja aberta a falar sobre si, e disposto a ouvir desabafos, conquistas, reclamações.

Tem um conselho? Procure entender se ele realmente vai ajudar, e se seu amigo está disposto a ouvir: não é sempre que queremos escutar que não estamos fazendo ou não conseguimos fazer o que é certo.

Dividir para multiplicar

Essa é a essência de uma amizade de longa data. Ao dividir experiências, vocês podem multiplicar histórias e construírem juntos vivências para a eternidade. Viagens, passeios, insônias da madrugada, momentos de desespero, promoção no trabalho, gravidez, troca de carro ou um simples café da tarde. Situações que passam a ter um valor especial simplesmente por terem sido vividas ao lado de alguém especial que, independente de distância, divergência, ocupações, sempre estará presente.

Aproveite este momento e inspire-se! Marque agora mesmo o próximo encontro (seja ele presencial ou online) e demostre para um amigo “das antigas” o quanto ele importa para você.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *