Estilo de vida

Por que as mulheres compram?

Entender porque as mulheres compram pode parecer simples, mas existem diversos fatores envolvidos nessa questão. Muito mais do que um hábito impulsivo como muitos pensam, a questão está relacionada à autoestima, às conquistas, ao seu papel na família. E a verdade é que as compras em geral são muito “mais pensadas” do que aparentam.

mulheres compram

Razões e emoções

Mulheres compram mais, mas em geral gastam menos e tem maior atenção ao preço, custo benefício e economia. Como responsáveis pelas compras na grande maioria dos lares, elas tem uma visão mais racional e meticulosa na hora de fazer escolhas, por mais que muitos possam pensar o contrário.

            Talvez seja exatamente seu perfil “comprador” que faça do público feminino tão seletivo e cauteloso na hora de comprar.

            E não para por aí. Ainda nesse contexto de responsabilidade e autonomia, é importante perceber a relação que as compras tem com as conquistas realizadas pelas mulheres ao longo dos anos. Tomar as rédeas como decisoras. Aumentar seus papéis para muito além de “mãe e tarefas da casa”. Isso reflete o empoderamento e a força do feminino, o que também interfere nos hábitos de consumo.

Aumento de poder, aquisitivo ou não

Primeiramente não podemos deixar de mencionar esta ascensão na participação da mulher em toda a sociedade. E principalmente com as mudanças no mercado de trabalho ocasionadas pela pandemia, a presença da mulher em grandes e importantes cargos nas empresas, que impulsionaram seu poder aquisitivo.

“Segundo dados do LinkedIn, mais mulheres têm sido alçadas a posições de comando executivo durante a pandemia, apesar da queda nas contratações para esse nível hierárquico. Essa tendência deve continuar, já que a pandemia demonstrou a importância de liderar com empatia e necessidade de apoiar a diversidade de talentos.”

            Em segundo lugar, há o fator emocional também influenciado por essa transformação. Com maior autoconfiança e liberdade pra ser quem quiser, a mulher sente-se mais segura para comprar, e demonstrar nas próprias compras seu estilo e personalidade.

Além do porquê, O QUE as mulheres compram

Mulheres compram muito mais que produtos e serviços. Elas compram identificação, representatividade. Mulheres compram aquilo que diz muito sobre elas e em cada compra contam uma história sobre si mesmas. 

            É a combinação do gosto pessoal com as tendências. É a sensação de ser única mas estar inserida em um grupo de pessoas com objetivos e valores comuns.

Um fato que nos faz pensar sobre como as marcas estão mudando sua maneira de comunicar, buscando uma conexão real com seu público potencial. 

            Diversidade, movimento corpo livre, desconstrução da mulher padrão. As empresas estão entendendo cada vez mais a necessidade de criar personas como estratégia de marketing para obter valor agregado e, aí sim, vender o que as mulheres compram.

A sensação de passear no shopping

A gente já mencionou ali em cima algumas questões relacionadas à liberdade quando o assunto é escolher o que comprar. Mas não dá para esquecer, ainda, a liberdade de se desligar da rotina por alguns instantes e incluir os passeios no shopping como um “momento só seu”. Uma sensação que parece ter se intensificado ainda mais nessa retomada pós-lockdown, em que por muito tempo as compras tinham que ser feitas somente online.

            Passear no shopping atrelou-se ainda mais à sensação de estar livre, e ficou mais distante das obrigatoriedades do dia a dia. Uma fugidinha do trabalho, das obrigações e, sejamos sinceros, até mesmo dos filhos. Afinal, mesmo quem não é mãe deve imaginar, pelo menos vagamente, a sensação de estar com eles em casa 24h por dia.

            O ambiente desafiador que enfrentamos nos fez valorizar ainda mais esse “ir e vir”, e nos incentivou a buscar por nós mesmas o equilíbrio e a felicidade.

Investir em si

O que as mulheres compram muitas vezes tem outro nome: investimento. Com toda a racionalidade em cada processo de compra, é difícil que não pensem em que benefício, além do produto em si, a aquisição irá trazer.

            Ainda há que se considerar a educação financeira cada vez mais em alta. Estabelecer prioridades e objetivos torna tudo ainda menos impulsivo, tornando as compras mais distantes de gastos por si só.

            Um exemplo é, conectada a todo o assunto abordado, a atenção ao autocuidado e à valorização de si. Isso ajuda a mulher a se tornar mais confiante e produtiva e, como num ciclo, ter maior poder aquisitivo e assim retomar seu papel de ativa consumidora.

            É isso na verdade o que as mulheres compram: um sistema em que elas mesmas se fortalecem e, cada vez mais, as colocam em um papel que merece ser enaltecido. Elas compram a própria ideia, e isso é bonito de ver!

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *